Quarta, Julho 23, 2014

Um dia em ...Veneza

Cruzeiros Veneza

...é um dos lugares mais incríveis do mundo e sobre o qual não é fácil encontrar palavras descrever tanta beleza. É também ponto de partida e chegada de muitos navios de cruzeiro e possui um dos grandes portos de cruzeiros do mediterrâneo.

1. Onde acostam os navios de cruzeiro

Existem dois locais de acostagem de navios em Veneza:

- a Estação Marítima, à entrada de Veneza para quem vem da cidade de Mestre;

- o Porto de São Basílio, para navios de menor dimensão.

Veneza

O Grande Canal divide Veneza em duas e desemboca nas imediações da Ponte della Libertá. Do lado do porto, a cerca de 2 km, encontra-se a Piazzale Roma, que é o centro de transportes rodoviários que dão acesso a Veneza. Possui um parque de estacionamento de grandes dimensões. Por detrás da Piazzale Roma, atravessando o Grande Canal, está a Stazione de Santa Luzia, o terminal ferroviário, para quem entra em Veneza por via férrea.

 

2. Como chegar a Veneza

Os passageiros de cruzeiro que iniciam um cruzeiro podem chegar a Veneza por via ferroviária, por via rodoviária, ou por via aérea. Nesta última opção, têm dois aeroportos possíveis o Marco Polo (Veneza) ou ou o Aeroporto de Treviso, um pouco mais distante. Existem serviços de autocarros frequentes que ligam os aeroportos e a Piazzale Roma.

Ao saírem do aeroporto em direcção ao centro de Veneza ou para a Estação Marítima é possível fazê-lo por via marítima. Assim, para chegar ao cais de embarque (junto ao aeroporto) pode tomar um táxi ou um chuttle (gratuito), entre a saída do aeroporto e cais de embarque.demorará cerca de 2 minutos. Aí apanhará os barcos Vaporetto ou ainda um táxi marítimo (ideal para 2 casais e respectivas bagagens).

 

3. O que visitar

Os meios de transporte de Veneza são complexos. Caso tenha algumas horas disponíveis e queira visitar a cidade pode deixar as bagagens no porto marítimo. Depois é partir à descoberta dos monumentos, dos museus, da cultura e das gôndolas…pois claro!

A viagem entre o Terminal de Cruzeiros e o centro da cidade, a Piazzale Roma, pelo Vaporetto custa cerca de 6,50 €. Depois todos os caminhos vão ter à Praça de São Marcos. No centro só se anda a pé, subindo e descendo pontes para atravessar os canais, ou então de barco entre as centenas de canais de maior e menor dimensão ao longo da cidade.

Caso queira visitar as ilhas de Murano, Burano ou o Lido (precisará de mais algum tempo) e então poderá ir de Vaporetto (bilhete de 12 horas custa 14,00 €, para 24 horas, 16,00€, e 26,00€ para 48,00 h). Os vaporettos para São Marcos, são o número 1 e 2 que saiem do Grande Canal, mesmo atrás da Piazzale Roma. Poderá também ser fazer este passeio e visitar as ilhas mais próximas de táxi-barco.

Não é fácil fazer uma lista de lugares a visitar na cidade dos canais, pois em cada esquina encontramos tesouros arquitectónicos. Como na cidade não existem autocarros, os táxis-barcos, os vaporetto e as gôndolas também não chegam a todas as esquinas, é necessário caminhar de preferência com calçado confortável.

Não pode deixar de visitar:

A Praça de São Marcos

É mais bela praça de Veneza. Foi um enorme centro de centro de poder em séculos passados e porta de entrada marítima. É uma praça de grandes dimensões, de uma arquitectura harmoniosa.

Veneza

A qualquer a hora do dia e até pela noite dentro a música faz-se ouvir, tocada pelas orquestras dos vários e luxuosos cafés (como é o caso do Florian entre outros).

Quem visitar Veneza entre o período do Outono e Inverno poderá encontrar a Praça de São Marcos inundada de água, a Acqua Alta. O Mar Adriático sobe com maré e faz brotar em vários pontos da praça água que se junta ao leito do Grande Canal, formando um “mar de água”. Neste período, o município local providencia a colocação de passadeiras elevadas, para que os turistas se possam deslocar e visitar os museus da praça, a Basílica e poder passear nesse ambiente diferente. Consideramos uma altura interessante para visitar Veneza, pois é possível encontrar boas promoções de preços em alguns hotéis. Nesta altura alguns hotéis disponibilizam galochas sem custos adicionais para que os turistas não molhem os pés durante os passeios.

Rodeada de arcadas por toda a praça, encontramos três importantes edifícios. A imponente torre "Campanille", com vistas excepcionais sobre a cidade. Em frente a Basílica de São Marcos, um capricho arquitectónico bizantino oriental, com um espectacular interior revestido por pequenos mosaicos, pintados a ouro e cinco cúpulas, onde se destaca a cúpula da Criação. A visitar: o Baptisterio, a Virgem da Vitória e a Pala d´Oro.

O Palácio Ducal, dos séculos XIV e XV, é um dos símbolos de Veneza, com as suas paredes de mármore rosa e branco, recomendando as visitas do Paço Ducal, as Salas do Senado a Ponte dos Suspiros, sobre um canal mais pequeno junto ao Grande Canal.

O Grande Canal

É como uma grande avenida de mar, ao longo da qual os nobres foram construindo faustos palácios de diversos estilos que se conjugam num quadro perfeito. Locais de destaque: Ponte da Academia, Alfândega e a Ponte Rialto, outro dos símbolos de Veneza que se desmoronou e foi reconstruído no século XVI. Feita em mármore e uma das pontes mais fotografadas do mundo e que simboliza também Veneza. Nos nossos dias é um espaço que acolhe não só no seu interior lojas de artesanato, antiguidades, ouro, etc.

Outros locais de interesse:

Veneza

Toda a cidade é uma jóia preciosa lapidada pelo Homem e pelo tempo. O Teatro de la Fenice, a Igreja de São Moisés, a Igreja e Praça de Santa Barnaba é provavelmente uma das mais bonita da cidade. Bem como as de Santa Maria Gloriosa, Giovanni e Paolo, a do Redentor, na ilha da Guidecca, e a ilha de São Jorge, com São Giorgo Maggiore, com vistas impressionantes da Praça de São Marcos.

Se desejarmos ir até Burano e Murano podemos sair ou da estação (vaporettos) da São Marcos ou se estivermos a norte da ilha, em Nova Fondazione.

Em Murano é onde se encontra o polo industrial do cristal, onde é possível visitar uma das muitas fábricas artesanais. Em todas elas pode ver-se fazer uma peça de cristal, pelos mestres vidreiros. A não perder: o Museu do Vidro, a Igreja de S. Mare e Donato.

Na ilha de Burano, se bem que muito voltada para o turismo, é a mais típica e tradicional, rendilhada por pequenos canais, casas de pescadores primorosamente restauradas, mas que, pelo facto desta ser a ilha mais afastada de Veneza, provavelmente é a ilha com menos turistas. Burano faz-nos por vezes lembrar outras cidades europeias como Bruges ou Amesterdão.

VenezaEstas referencias dadas poderão exploradas caso se chegue com dois ou três dias de antecedência ou pós cruzeiro.

No caso de se passar apenas alguma horas em escala em Veneza, é de aproveitar essencialmente o centro da ilha de Veneza, pois tem trajectos e lugares a não perder e ainda um inesquecível passeio de gôndola, pelos canais sempre repletos dessas embarcações típicas. Tente negociar o percurso e o preço a pagar.

Se pernoitar em Veneza, e se quiser ter uma experiência exclusiva, passeie de gôndola acompanhado de um tenor privativo, encante-se com uma área de ópera enquanto bebe um champagne e desliza pelos canais – no mínimo é muito romântico e inesquecível.

 

4) O gosto de fazer

Veneza Deixo-me levar pelos meus impulsos e pelas pernas. Deixar os guias e mapas e andar desde a Estação de Santa Lúcia, seguindo placas das fachadas dos prédios. Primeiro Rialto, a zona central entre São Marcos e a Estação de comboio. "para Rialto". Canais, esquinas mágicas, lugares encantados que farão as maravilhas das máquinas fotográficas. Em Rialto é conveniente perder-mo-nos entre a confusão do mercado e as lojas de artesanato das imediações. Continuando até São Marcos, seguindo a direcção "Para São Marcos". Pode apanhar-se o vaporetto 1 e 2, dar uma volta circular pelo Grande Canal e a Giudecca. No final da praça de São Marcos (em frente da Catedral de São Marcos), vire à esquerda. Seguimos então pela rua com as mais elegantes lojas. Para chegar ao Grande Canal passamos pela Ponte da Accademia. Em frente o cenário da Alfândega é maravilhoso. A zona sul do Grande Canal, é a mais típica. Passando pelo Fenice, chegaremos à Piazzale Roma, para regressar ao navio. Uma sugestão pessoal: Ao viajar dê espaço ao improviso e parta à descoberta. Deixe-se perder pelas ruas e ruelas e encontrará sempre indicações com a direcção para onde quer ir.

 

5) Comer e beber

Cidade cara, onde os turistas são a principal fonte de receitas. Os preços a pagar pelos produtos e serviços, são até muitas imorais. É verdade que um café tomado no Café Florian, ao som de uma suave melodia é francamente apetecível, não só por ser provavelmente o Café mais antigo, enorme charme e pela beleza que se pode desfrutar das suas salas de chá ricamente decoradas ou esplanada.

Veneza

Espaços lendários como o terraço do luxuoso Hotel Danielli, o do Hotel Gritti Palace, ou um famoso cocktail Bellini (champagne com sumo de pêssego) no famoso Harry´s Bar (São Marcos, 1323), são referências imprescindíveis. A famosa gastronomia italiana não necessita de apresentação. O segredo é saber resistir aos restaurantes sempre repletos de turistas, nos pontos turísticos à luz das velas – é garantia de preços inflaccionados. Para fazer uma refeição recomenda-se que se procurem de espaços menos turísticos e lugares onde vejamos os venezianos a almoçar ou jantar o que não é tarefa fácil. Facilmente chegamos à conclusão que a fast-food nem é uma má opção, pois permite gastar menos tempo nas refeições e variar entre os hamburgeres, as pizza sem esquecer os gelados. As pastelarias de Veneza são especialmente apelativas com os doces locais.

Alguns restaurantes recomendados: La Zucca, em Santa Croce 1762. Também a Osteria al Garanghelo (marisqueira) em San Polo 1570-71 (Rua do Botteri) perto de Rialto, em cujo mercado se encontra grande variedade de alimentos e frutas. Uma outra opção interessante é o Leon Bianco na mesma zona (San Marco, 4153) e uma pizzaria a Aligiubagio (em Cannaregio, 5039), na estação de vaporetto de Nova Fondazione.

 

6) Compras

Veneza Ainda bem que grande parte das lojas de souveniers de menor qualidade foram desaparecendo. A joalharia, com peças de cristal Murano, moda de marcas italianas, mascaras de carnaval veneziano artigos de papelaria ao estilo antigo, ou ainda, compras mais gastronómicas, como garrafas de cocktails Bellini, massas, doces, etc.

Uma recomendação local são os objectos de couro pintados à mão, com cores vivas, típicos de Veneza que se encontram nas lojas da Praça de São Marcos, ao lado do Café Florian. Um souvenir único e original.

 

7) Informação adicional

Páginas web com interesse:

http://www.turismovenezia.it/

http://www.caffeflorian.com/

http://www.vtp.it/pages/navi/mappaCrociere.jsp (mapa e informação do porto)

http://www.actv.it/ (transportes de Veneza)

 

Veneza

 

Veneza

Veneza

 

Veneza

 

Veneza

 

Veneza

Veneza

 

Veneza

Veneza

Veneza

Veneza

Veneza

Veneza

Veneza

Veneza

Veneza

 

Filtrar título 

Listar 
Título do artigo

Ligações

Globalsea Travel - Agência de Viagens Recomendada Especialista em Turismo de Cruzeiros

infoCruceros.com 

Redes sociais

images2 images4